Open Source Sofware


A história do São José está sendo constantemente escrita. O clube começou a organização do seu acervo histórico e a tendência é que muito material seja coletado. Se você foi atleta, colaborador ou simpatizante e tem material antigo do clube, ou se quer colaborar com informações da nossa história, entre em contato com jmalaia@saojoserugby.com.br e colabore com a manutenção da memória do São José Rugby.

O São José Rugby Clube é um dos clubes de rúgbi mais importantes do Brasil. O argentino Guillermo Collins foi o primeiro a organizar um time de rúgbi em São José dos Campos, dando treino para alunos do ITA a partir de 1982. Rapidamente, a modalidade se popularizou na cidade e ultrapassou os muros da universidade. O filho de Guillermo, Matias Collins, jogava e, com apenas 15 anos, já dava treinos na Praça Synésio Martins, a antiga Cruzeiro do Sul, para crianças entre 9 e 13 anos. Depois de Guillermo, os treinos passaram a ser ministrados por outro argentino, Daniel Sauchelli. Aos poucos, o São José foi ganhando corpo, foi conseguindo montar equipes de diferentes categorias e passou a vencer campeonatos das categorias de base a partir de 1991. Em 2002, com o primeiro título brasileiro, a história dos títulos não parou mais.

Gostariamos de agradecer àqueles que cederam seus acervos ou que nos deram informações para que pudessemos realizar esta linha do tempo inicial do São José. Especialmente ao Pelo, Maumau, Luiz Henrique, Fabinho, Gé Barbosa, Febem e tantos outros. Fica aqui um agradecimento especial a Guillermo Collins e a seu filho, Matias Collins, os grandes responsáveis pelo início do clube, por terem nos enviado material e nos contado sobre os primórdios do rúgbi na cidade de São José dos Campos.

Use a rolagem para navegar

2013

Presidentes: Enrico Cogliandro e Debora Prais

O ano de 2013 foi, mais um vez, repleto de conquistas para o São José. O clube foi campeão paulista pela nona vez e foi bicampeão do Brasil 7's e dos Jogos Abertos do Interior. As conquistas renderam desfile em carro de bombeiro pela cidade de São José dos Campos. Outra conquista importante foi o primeiro título de um campeonato diputado pelo Cruzeiro do Sul, o Cruzeirão e seus veteranos. O time foi campeão do 7's do SPAC, o Lions, na categoria de veteranos. Foi uma oportunidade ímpar e alguns jogadores levantaram uma taça pelo clube pela primera vez, como o Bola. No entanto, o principal momento deste ano foi a inauguração do CT Ange Guimera, no bairro Campo dos Alemães. O CT era um sonho antigo de todos aqueles que um dia trabalharam pelo clube. No CT, atletas de todas as categorias têm médico, fisioterapeuta e academia de musculação. Além disso, ali fica a sede administrativa do clube e é o local de reuniões e assembleias de sócios. O CT Ange Guimera possibilitou ao clube ter uma estrutura ainda melhor para ampliar o alcance de seu projeto social e a conquista de títulos para o clube. Fotos cedidas por Maumau e Pelo.

2012

Presidente: Enrico Cogliandro

No ano de 2012, Enrico Cogliandro se tornou presidente do São José e deu continuidade aos trabalhos que davam frutos no clube. O São José foi campeão brasileiro pela oitava vez. Foi também bicampeão do Brasil 7's e campeão dos Jogos Abertos do Interior. Foi também no ano de 2012 que a família São José Rugby perdeu mais um de seus imprtantes membros. O ex-presidente Ange Guimera veio a falecer no dia 28 de junho deste ano. Guimera nos deixou um legado de dedicação exemplar ao clube, viabilizando a obtenção da atual sede do clube, no Campo dos Alemães. O CT do São José leva o nome de nosso ex-presidente, em uma singela homenagem que prestamos a este abnegado pelo rúgbi. O time de veteranos do clube, o Cruzeiro do Sul, tem três estrelas acima de seu escudo. Cada uma delas representa um dos membros de nossa família que nos deixou: Leozinho, Cabelo e Guimera. Fotos cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2011

Presidente: Christiano Clair

2011 marcou a chegada de Nacho Ferreyra, treinador argentino e amigo de Daniel Sauchelli, o mesmo que ajudou os meninos na Praça Cruzeiro do Sul. Nacho veio por indicação de Daniel e foi contratado para ser o treinador da categoria principal e contribuir com a categoria de base. Com o novo treinador, o São José Rugby conquistou o seu oitavo título paulista e o sétimo brasileiro. Foi também um ano de conquistas na modalidade 7's. O São José foi campeão do 7's de Curitiba e do Brasil 7's. E conquistou também o título inédito do Rio Beach Rugby. Fotos cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2010

Presidente: Christiano Clair

Com a chegada de Clair à presdência do São José Rugby, o clube conquistou o sexto título brasileiro e o sétimo título paulista. Além dessas conquistas, o São José foi também campeão do 7's do SPAC. No entanto, o que mais orgulhava a todos no clube era o sucesso do projeto social do São José Rugby. Centenas de crianças espalhadas por diferentes núcleos na cidade treinavam e participavam de festivais e jogos amistosos. O clube organizou a Copa Cultura Inglesa, sagrando-se campeão deste torneio. O sucesso do projeto mostrava um exemplo de trabalho social idealizado por Maurício Coelho, Ange Guimera, Rafael Simão, Christiano Clair, Edis Abrantes e tantos outros jogadores e ex-jogadores que ajudaram a difundir o rúgbi pelos diferentes bairros da cidade. Uma das maiores vitórias do nosso clube. Fotos cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2009

Presidente: Ange Guimera

Em 2009, o São José Rugby conquistou mais alguns importantes títulos, como o Campeonato Paulista. Mais uma vez o São José conquistou as etapas de 7's de São José dos Campos, de Niterói e de Curitiba. Além disso, conquistou o título inédito do 7's de Florianópolis. O clube sagrou-se também bicampeão do Beach Rugby de Ilhabela. Na categoria de base, mais dois títulos: o de campeão paulista e brasileiro M-19. O ano foi também marcado pela disputa da Taça Cabelo, em homenagem ao jogador Ricardo Martins, o Cabelo, falecido em 2007. A partida foi disputada entre um combinado da São Francisco (USP) contra a equipe de veteranos do São José Rugby, o Cruzeiro do Sul. As fotos foram cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2008

Presidente: Ange Guimera

Em 2008, o São José Rugby continuou sua conquista de títulos. O clube se sagrou novamente campeão paulista e brasileiro de rúgbi, além de conquistar as etapas de 7's do SPAC, de São José dos Campos, de Niterói e de Curitiba e foi ainda campeão do Beach Rugby de Ilhabela. Na categoria de base, o São José foi, mais uma vez, campeão paulista e brasileiro M-19. Ange Guimera foi reeleito presidente do clube. As fotos foram cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2007

Presidente: Ange Guimera

Em termos de conquistas, 2007 foi um dos anos mais importantes do clube. O São José conquistou o tetracampeonato brasileiro e o tetracampeonato paulista. Além disso foi campeão dos 7's do SPAC, do 7's de São Jose dos Campos, do 7's de Niterói e do 7's de Curitiba. Na categoria de base, o clube foi campeão paulista e brasileiro M-19 e foi campeão de todas as etapas da Copa São Paulo de Rugby XV M-17. No entanto, mais uma vez a família do São José Rugby perdeu um importante membro: Ricardo Martins, carinhosamente conhecido no clube como Cabelo, faleceu no dia 7 de junho de 2007. Cabelo foi um exemplo de jogador e de pessoa tanto no clube, quanto fora dele. Foi um dos jogadores que mais conquistou títulos com o São José nas categorias de base e na categoria principal. Deixou, assim como Leozinho, um legado inestimável de amor e dedicação ao São José Rugby. Sua memória está viva entre aqueles que tiveram o privilégio de conviver com o Cabelo. As fotos foram cedidas por Lu, Maumau e pelo irmão do Cabelo, o Pelo.

2006

Presidente: Ange Guimera

Logo no início de 2006, Ange Guimera assumiu a presidência do clube. O São José dava um importante passo rumo à consolidação de seu crescimento. O clube conseguiu ser tricampeão paulista adulto e campeão paulista e brasileiro da categoria M-19. As conquistas na base e no adulto eram a receita para que o time continuasse a revelar excelentes jogadores que se integravam facilmente à categoria adulta. As fotos deste ano foram cedidas por Lu, Maumau e Pelo.

2005

Presidente: Fabio Carvalhaes

2005 foi um ano de transição no São José Rugby. Fabio Carvalhaes assumiu a presidência do clube e o São José deu um grande passo na popularização do rúgbi no país, ao organizar o Primeiro Torneio Internacional de 7’s de São José dos Campos. As partidas foram disputadas no estádio Martins Pereira e o São José ficou com o vice-campeonato, ao ser derrotado pela equipe argentina do Resistencia 7. O São José conquistou o bicampeonato paulista ao vencer o Band por 42 a 12. Na categoria de base, o clube conquistou o Campeonato Paulista M-19. O ano marcou também a saída de dois atletas do clube que foram jogar rúgbi profissionalmente na Itália: Fernando Portugal e Putim. Era a primeira vez que jogadores brasileiros se transferiam para um clube europeu de rúgbi. Foi também em 2005 que o francês Ange Guimerá decidiu se aproximar ainda mais do clube e se dedicar quase que exclusivamente em prol do São José. As fotos deste ano foram cedidas por Maumau e Pelo.

2004

Presidente: Rafael Simão

O ano de 2004 foi novamente marcado por uma série de conquistas importantes do São José Rugby. O time adulto foi tricampeão brasileiro, terminando a competição de forma invicta. Além do campeonato nacional, o São José conquistou também o inédito Campeonato Paulista. A hegemonia do clube em âmbito nacional fez com que a seleção brasileira daquele ano contasse com oito atletas do São José. No 7’s, o clube conquistou o bicampeonato do 7’s de São Roque e o pentacampeonato do 7’s do SPAC. O clube foi convidado a participar do tradicional 7’s de Punta Del Este, no Uruguai, e conquistou a Taça de Prata do torneio, em um dos feitos mais importantes da história do São José. Na foto em destaque, o time que ganhou o Campeonato Paulista pela primeira vez na história do São José. São eles: Edis, Pelo, Febem, Fred, Spani, Portugal, João Paulo, Lu, Tanque, Vinicius, Douglas, Clair, Du, Vitor, Henrique Dantas, Edu Lima, Crisão, Machuca, Jebran, Bodão, Putim, Rafael Dawailibi, Fabinho, Tuniko, Estevan, Trobeta e Mauricio Ferreira Coelho, o Maumau, técnico da equipe. As fotos deste ano foram preservadas e cedidas por Maumau e Pelo. 2004 marcou também a estreia do Cruzeiro do Sul, time de veteranos do São José Rugby. Apesar de os jogadores ainda não terem 35 anos, os atletas mais velhos e ex-atletas tiveram a ideia de formar um time para o Beach Rugby de Florianópolis. Na galeria de fotos, podemos ver uma imagem desse jogo de estreia com os jogadores Clair, Ronaldão, Maumau, Bodão e Edis (Foto cedida por Maumau e Clair). No mesmo ano, a equipe jogou o 7's de Atibaia. Na foto: Clair, Spani, Zé, Fabinho, Bodão, Rafa, Joca, Maumau, Crisão e Tico (Foto cedida por Gustavo Cardone, o Tico).

2003

Presidente: Rafael Simão

O São José Rugby não parava de crescer. A cada ano, projetos mais ousados eram encampados pelo grupo de apaixonados pelo rúgbi da cidade. Em 10 de fevereiro de 2003, começava a gestão do presidente Rafael Simão, o Rafa, um dos grandes responsáveis pelo crescimento do rúgbi em São José dos Campos e depois também em Ilhabela-SP. Rafa jogava no time adulto e ajudou o São José Rugby a transformar o clube em um dos mais vencedores do Brasil. O São José iniciou o projeto "Aprendendo e Jogando Rúgbi" e organizou o primeiro torneio Leopardo Guerreiro, através do trabalho de vários abnegados, principalmente Maumau e Edis. Os projetos visavam a popularização do rúgbi entre os garotos das escolas públicas e privadas de São José dos Campos e a transformação da cidade no maior celeiro de jogadores de rúgbi do país. Além de ganhar pela quarta vez consecutiva o 7’s do SPAC, ser bicampeão do 7’s de Atibaia e ser campeão do 7’s de São Roque, o São José conseguiu o bicampeonato brasileiro de rúgbi, ao vencer o Bandeirantes por 33 a 17. As fotos deste período foram preservadas e cedidas ao acervo pelo Lu, Maumau e Pelo.

2002

Presidente: Juliano Bazetto

O ano de 2002 marcou a primeira grande conquista do São José na categoria adulto. A equipe conquistou pela primeira vez o Campeonato Brasileiro de rúgbi, ao vencer o Bandeirantes na final por 30 a 20. Além da conquista na modalidade de XV, o São José foi tricampeão do 7’s do SPAC, campeão do 7’s de Atibaia e campeão do Primeiro Circuito Brasileiro de 7’s 2001-2002. Na categoria de base, o São José foi campeão paulista e brasileiro Juvenil (M-19). Infelizmente, no dia 15 de dezembro de 2002, a família São José Rugby sofria uma de suas maiores perdas. Falecia Leonardo Mizumoto, o Leozinho (foto em destaque), atleta do clube desde 1987 e grande incentivador da modalidade. Leozinho nos deixou muito cedo, mas deixou também um legado de exemplo de luta e de dedicação total ao clube. Sua memória está vive entre todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver com ele. As fotos deste período foram preservadas por Fernando Martins (Pelo), Luiz Henrique (Lu) e Maurício Coelho (Maumau).

2001

Presidente: Juliano Bazzeto

Com a formalização do clube, o São José teve maiores possibilidades de obtenção de patrocínios. O clube passou a contar com apoio da ADC GM, através de Lei de Incentivo Fiscal, além de passar a contar com apoio da Prefeitura de São José dos Campos. O clube foi bicampeão do 7's do SPAC,e foi campeão do 7's de São Roque. Além disso, a categoria juvenil (M-19) continuava ganhando praticamente tudo o que disputava e preparava os futuros craques para o time principal: Campeão Paulista, Brasileiro e do 7's de Campos do Jordão da categoria. As fotos foram preservadas por Luiz Henrique.

2000

Presidente: Juliano Bazetto

O ano de 2000 marcou uma virada na história do clube. Foi no dia 3 de abril daquele ano que o São José Rugby Clube foi efetivamente regularizado como organização esportiva sem fins lucrativos. A reunião de garotos na Praça Cruzeiro do Sul ganhou corpo com a elaboração de um estatuto, registro da associação em cartório e eleição de Juliano Bazzeto (Puff) como primeiro presidente oficialmente eleito do clube. A trajetória de títulos continuou. O São José foi tricampeão do 7's de Piracicaba, bicampeão do 7's de Campos do Jordão e foi, pela primeira vez, campeão do tradicional 7's do SPAC (foto inicial). Além disso, o São José foi campeão brasileiro juvenil (M-19), campeão paulista juvenil (M-19) e campeão do Torneio Início Juvenil (M-19) do SPAC. O São José Rugby chegou pela segunda vez consecutiva à final do Campeonato Brasileiro, sendo derrotado na final pelo Desterro-SC. O curioso é que todos os pontos do Desterro foram marcados por um ex-atleta do São José, Gustavo Cardone, o Tico. Tico foi o capitão do São José na categoria infantil em 1991, quando o clube conquistou a primeira taça de sua história. As fotos foram preservadas por Luiz Henrique e foram tiradas pelo fotógrafo Pedro Azevedo.

1999

Presidente Juliano Bazetto

A sequência de títulos das categorias de base continuou com a conquista do Campeonato Paulista Infantil (M-17) e do Campeonato Brasileiro Juvenil (M-19). Na categoria principal, o São José conquistou o bicampeonato do 7's de Piracicaba e conquistou pela primeira vez o tradicional 7's de Campos do Jordão. O clube também conquistou seu primeiro título de XV, ao sagrar-se campeão da Copa Sudeste. Neste ano, o São José chegou também pela primeira vez à final do Campeonato Brasileiro, sendo derrotado na final pelo SPAC. Definitivamente, o São José não figurava mais como coadjuvante em nenhuma competição que disputava no rúgbi brasileiro. Na foto de destaque, a jovem equipe do São José que disputou a temporada de 1999. em pé: Puff, Luis Fernando, Bodão, Machuca, Parreira, Crisão, Edinho, Jean, Fred e Ronaldão. Agachados: Febem, Luquinha, Felipe Neguinho, Xus, Fabinho, Luiz Henrique, Rafa, Leozinho, Maumau e o então treinador, Alexandre Spani, com 24 anos. As fotos desta galeria correspondem ao jogo contra o Rio Branco, no CTA, e foram preseravadas por Fabio Carvalhaes, o Fabinho. Na galeria de fotos, imagens do jogo São José x Rio Branco, no campo do CTA, no dia 3 de outubro de 1999.

1998

O ano de 1998 foi um marco na história do São José Rugby. A equipe conquistou pela primeira vez um campeonato na categoria adulto: o 7's de Piracicaba. Na foto, os jogadores que disputaram o 7's de Campos do Jordão naquele ano. Uniformizados, da esquerda para a direita: Felipe Neguinho, Zappa, Cayo, Fabinho, Zé, Marcelinho, Lu e abaixo de todos, Alexandre Spani. Podemos ver na foto, de gorro, ao lado do Zappa, Léozinho. E de camisa e gorro verdes, ao lado do Cayo, Fernando Portugal. A foto foi preservada por Fabio Carvalhaes, o Fabinho.

1997

Em 1997, o time adulto do São José conquista a sua primeira taça, na categoria 7's. Não foi dessa vez que a equipe ficou em 1º lugar na competição. No entanto, o São José conseguiu sagra-se campeão da Taça de Prata do 7's do SPAC, tradicional e mais importante torneio de rúgbi 7's do Brasil. Na foto de destaque, com a Taça, estão (da esquerda para a direita): Léozinho, Death, Spani, Lu, Fabinho, Parreira, Xus, Cayo, Rafa e Ronaldão. A foto foi preservada pelo atleta Luiz Henrique, o Lu.

1996

Presidente: Luis Sampaio (Bola)

O São José deu um passo importante na sua história no ano de 1996, ao conquistar o título do Campeonato Brasileiro Juvenil (M-19) pela primeira vez em sua história. O ano de 1996 foi marcante para a identidade visual do São José. Até aquela data, o clube não possuía um símbolo, adotando apenas a águia, em uma referência ao símbolo do clube de futebol da cidade de São José dos Campos. E foi justamente procurando por uma águia em uma bordadeira da cidade que Luiz Henrique (Lu), Spani e Luis Fernando encontraram o desenho da atual fênix. Desde então, a fênix passou a estampar as camisas do São José Rugby Clube. Na galeria de fotos, um dos primeiros bordados da fênix, prateada e que estampava um conjunto de moletons pretos para os atletas. E talvez o primeiro adesivo feito pelo São José que podia ser visto nos carros de alguns joseenses no final dos anos 1980 e início dos anos 1990. O adesivo foi preservado por André Nogueira, o Beudo.

1995

O São José continuou seu investimento nas categorias de base do clube. Em 1995, a equipe foi bicampeã paulista Juvenil (M-19). A equipe adulta continuava jogando o Campeonato Paulista com jogadores jovens que adquiriam experiência ano a ano. E começava a receber jogadores acostumados a serem campeões na categoria M-19. A partir de 1995 até 1999, Ange Guimera, membro da Federatión Internationale de Rugby Amateur (FIRA), conseguiu a vaga para o Brasil no Mundial Juvenil. A seleção brasileira, formada por vários jogadores do São José, disputou os Mundias de Bucareste (1995), Brescia (1996), Santiago (1997), Toulouse (1998) e Cardiff (1999). Os vários jogadores do São José que participaram destes mundiais trouxeram para o clube uma importante contribuição com a experiência internacional adquirida. Com a chegada paulatina desses jogadores ao time adulto, o São José passou a figurar como uma das principais equipes do país. Na galeria de fotos, podemos ver imagens da seleção brasileira juvenil que disputou o Mundial de 1997, em Santiago, no Chile. Na foto em destaque, 10 dos 22 jogadores da seleção jogavam no São José: Raul, Cabelo, Machuca, Cayo, Fred, Pintinho, Febem, Bodão, Maumau e Luquinha, Além deles, o ex-atleta do clube, José Eduardo, o Zé, acompanhou a delegação como preparador físico. (Fotos: Maurício Coelho, Maumau)

1994

Em 1994, o São José Rugby foi campeão paulista da categoria Juvenil (M-19) pela primeira vez em sua história. A equipe adulta do São José era formada pelos jovens que iam saindo das categorias de base. Um dos atletas de destaque na conquista do título do Campeonato Paulista Infantil de 1991, Fabio Carvalhaes, o Fabinho, foi autor de um feito histórico pelo clube. Em uma partida disputada no Rio de Janeiro, contra o Niterói, Fabinho foi autor de seis "tries". A equipe adulta do São José era formada por jovens entre 18 e 20 anos. O jogador mais velho e capitão do time era Rafael Simão, com 23 anos, que era também o presidente do clube. A equipe que aparece na foto é a que esteve em campo contra o Niterói. Na parte de cima: Maumau, Ricardo Nakamura, Guedes, Rafa, Lu, Xus, Fabinho e Mini. Na parte de baixo: Spani, Gordo, Zé, Marcelinho, Fred, Puff, Zappa e Luis Fernando (Foto cedida por Luis Henrique).

1993

O São José continuava apostando forte nas categorias de base do clube. Apesar de não ser campeão da categoria Infantil (M-17) , o São José ficou com a segunda colocação e contou com jogadores que, posteriormente, foram destaque do clube e da seleção brasileira. Aqui os jogadores que ficaram com o vice-campeonato infantil (M-17) de 1993: Em Pé: Gaguinho, Deco, Guilherme, Xandao, Gerson, Big, Gordo e Cayo. Agachados: Felipe, Xandele, Beudo, Mini, Leozinho e Paquita. A foto foi cedida por Cayo, o Cayão. A partir de 1993, a categoria infantil já atingia uma alta quantidade de praticantes. Foi aí que Rafael Simão, um dos maiores colaboradores da história do clube, idealizou a formação de algumas equipes nas escolas em que os jogadores estudavam. Surgiram então três equipes: Objetivo, Instituto São José e Renegados (time formado por alunos de escolas públicas da cidade). Na galeria de fotos, podemos ver a camisa do CORU (Clube Objetivo Rugby Union), que o ex-atleta Fernando Castelani, o Febem, cedeu ao acervo.

1992

A conquista do título de campeão paulista infantil em 1991 deu visibilidade a muitos meninos da cidade de São José dos Campos. Em 1992, alguns dos campeões de 1991 nascidos em 1975 foram convocados para a seleção brasileira de rúgbi da categoria. Felipe Lapa (Neguinho), Luis Henrique (Lu) e Alexandre Spani foram os representantes do São José Rugby no Sul-Americano Infantil de 1992. Na foto, Felipe é o 1º da esquerda para a direita, Lu é o 5º e Spani o 9º. A foto foi cedida por Luis Henrique.

1991

Presidente: Dominique Contant

Em 1991, o São José Rugby deu um importante passo em sua história. Com equipes do Mirim (M-15), Infantil (M-17) e Juvenil (M-19), o clube começava a despontar como concorrente ao título paulista daquele ano, principalmente na categoria Infantil. Cerca de um ano antes, um francês radicado em São José dos Campos, Dominique Contant, passou a ajudar na organização do clube. Dominique, apesar de não haver a figura institucional de presidente, é considerado até hoje como o primeiro presidente do clube. Foi ele o responsável por conseguir o primeiro jogo de uniformes completo para o clube. As peças foram doadas pelo Sport Club Blagnac, equipe francesa que também joga com as cores azul e vermelha. Foi com esse uniforme que o São José ganhou o primeiro título de sua história: o de Campeão Paulista Infantil. Dois dos maiores responsáveis pela conquista foram os treinadores da equipe, Walter e Parreira, que passaram o que aprenderam com Guillermo e Daniel na Praça Cruzeiro do Sul. Foi ali mesmo naquela praça que os meninos treinaram para dar ao São José o seu primeiro campeonato estadual. Na foto de destaque, os jogadores que conquistaram o primeiro título da história. Em pé: Edis, ?, Big, Caio, Erick, Jean, Lu, Tico, Joca, Zappa, Leo, Paquita, Ronaldão. Agachados: Zé, Paulinho H, Guedes, Sandrigo, Coreia, Ewerson, Death, David, Xandão, Queiminha e Brunosa. As fotos de 1991 foram cedidas por Ricardo Sá Lima, o Zappa. Outros jogadores participaram do elenco deste ano, mas, por razões diversas, não estão na foto. Dentre eles, Fabinho, Spani, Gerson e Alemão foram jogadores importantíssimos na conquista do primeiro título de nossa história. Além da equipe Infantil, o Mirim foi vice-campeão paulista naquele ano. Na galeria de fotos, podemos ver aquele que pode ser considerado o primeiro escudo do São José Rugby, para um jogo de camisas inicialmente destinado ao Juvenil (M-19) do clube. Este uniforme foi usado por muito tempo e pode ser visto na galeria de imagens de 1993, como uniforme da equipe vice-campeãa paulista.

1988

A partir do final de 1987 e início de 1988, o São José Rugby deixou de usar o nome ITA Rugby. Desde 1985, os treinos durante a semana se realizavam na Praça Cruzeiro do Sul e os jogadores não tinham mais vínculo com a faculdade. O São José só treinava aos sábados no campo do CTA e mandava lá as suas partidas também. O São José passou a jogar com camisetas brancas, primeiro sem nada escrito e depois com o nome São José Rugby Club estampado. Na foto em destaque, um dos primeiros times da categoria mirim (M-15) do São José. Podemos ver os uniformes brancos e o ônibus que levaria os jogadores para um jogo em São Paulo, contra o Alphaville. Ali estão algumas das figuras que marcaram e ainda marcam a história do São José Rugby. O técnico era Matias Collins, que não está na foto. Em pé: Mauro, Jaime Collins, Girino, Henrique, Anfíbio, Guspe, Jep, Beudo e Erick. Agachados: Pedrinho, Nicolas e Cristobal Arancibia, Alexandre Serra, Guilherme Kasper, Alberto, Death, Leozinho, Ju e André Friggi. A foto rara foi guardada por Gustavo Scassa, o Guspe. Dentre os garotos, um deles se tornou jogador de rúgbi profissional anos mais tarde. É Nicolas Arancíbia, que foi half-scrum e capitão da seleção chilena de rúgbi, além de jogar profissionalmente em países como África do Sul, Austrália, Itália e Nova Zelândia.

1987

Foi em uma noite de terça ou quinta-feira que outro argentino, Daniel Sauchelli, ao correr à noite pelo bairro do Esplanada se deparou com os meninos treinando com a bola oval. Daniel estava a trabalho no Brasil e era ex-jogador do Córdoba, na Argentina. Rapidamente se integrou com Guillermo Collins e passou a colaborar com os treinamentos. Daniel foi um dos grandes colaboradores do início do rúgbi na cidade de São Jose dos Campos. Na foto de destaque, os jogadores de uma das primeiras equipes a defender as cores vermelho e azul pela cidade de São José dos Campos, ainda com o nome de ITA Rugby na camisa. Apesar de usarem o nome ITA Rugby, nenhum dos atletas da foto é aluno do ITA. Em pé - Jumbo, Machicho, Rogério, Ico Kasper, Ian, Cica, Kadão, Serginho, Kina e Fernandinho. Agachados - Paulo Zeca, Rodrigão, Gavião, Fabiano, Gé, Matias Collins e Renatinho. Fernandinho, o Fernando Ferro, lamentávelmante nos deixou em 2009. Na última foto, podemos ver Daniel em pé, o quarto da esquerda para a direita, sem camisa e com chapéu. As fotos, bem como as identificações dos atletas foram cedidas ao site por um dos jogadores que participaram do time neste período, Gé Barbosa. Na galeria, há uma foto de Maurício Coelho com Matias Collins, tirada em 2001. em um encontro dos dois na Argentina, no San Isidro Club. Na foto entre os dois está o time do San Isidro no qual Matias Collins jogou.

1985

Como vimos nas palavras de Guillermo Collins, o CTA passou a criar dificuldades para a entrada de pessoas em seu campo para treinamento. Foi neste período que o filho de Guillermo, Matias, passou a ministrar treinos para meninos entre 10 e 11 anos na Praça Synésio Martins, no bairro do Esplanada. Matias conta que os mais velhos treinavam terças e quintas ainda no campo 2 do CTA. O campo não tinha iluminação e alguns atletas que possuiam carros ligavam os faróis para que pudessem treinar à noite. Em horário diferente, Matias passou a comandar os treinos para os meninos na praça, quando tinha apenas 15 anos. A praça Synesio Martins tinha o nome de Praça Cruzeiro do Sul até 1968, quando teve seu nome alterado através de uma lei municipal. No entanto, o nome Cruzeiro do Sul ficou marcado para os joseenses e é assim que aquela praça é conhecida ainda hoje. Com o passar do tempo, os mais velhos decidiram treinar às terças e quintas na praça também. A praça oferecia condições longe das ideias para treinamentos. Mas havia alguns pedaços de grama em que se podia formar uma linha, um line out, um scrum. Em meio a diversas árvores, garotos entre 12 e 19 anos se empenhavam todas terças e quintas à noite, sob o comando de Guillermo Collins. Aos finais de semana, os garotos treinavam no CTA e mandavam os jogos também. A Praça Cruzeiro do Sul foi um marco na história do São José Rugby. Foi ali que o rúgbi apareceu pela primeira vez em um local público na cidade, fora dos muros do CTA. Inclusive, o time de veteranos do São José Rugby (a grande maioria com anos e anos de treinos naquela praça) tem o nome de Cruzeiro do Sul, ou de Cruzeirão, em homenagem à praça que deu início à formação do clube.

1983

A escolha das cores do São José Rugby Clube, o vermelho e azul, também teve a influência direta de Guillermo Collins. Em 1983 se deu a compra do primeiro jogo de camisas para o time do ITA. Como os uniformes seriam comprados na Argentina, Collins, com raízes no Alumini, queria as camisas nas mesmas cores de seu antigo clube: vermelho e branco. Mas essas eram as cores do Nippon, equipe que disputava o Paulista. Como não poderia ser nas cores do Alumni, havia o azul branco e preto, do SIC, mas que também eram cores parecidas com as do SPAC. Pensou nas cores do Olivos, mas o preto e vermelho eram as cores do Bandeirantes. Com poucas opções, Guillermo pensou então nas cores do Curupaytí, o vermelho e azul, e trouxe o primeiro conjunto de uniformes para o ITA Rugby. A partir de 1988, Guillermo e Matias Collins, que viajavam com frequência à Argentina, traziam de lá mais camisas da equipe Curupaytí. Mas o clube argentino mudava de fornecedores e a largura das listras também mudava, assim como as tonalidades do azul e do vermelho. Havia camisas da marca Uribarri (a maioria) e da Adidas. Cada atleta comprava a sua própria camisa. Entre 1987 e 1989, os jogadores fizeram camisas no Brasil, sem marca. Na galeria, uma das camisas remanescentes da Uribarri comprada por Matias Collins. Esta camisa pertenceu a Gé Barbosa que, em 1990, deu a João Malaia (Joca), que a guardou até hoje. A outra camisa da galeria é a do Curupaytí, da Argentina.

1982

Tudo começou em 1982, com Guillermo Collins. Formado na Universidad de Buenos Aires, diretor da Johnson & Johnson e professor do ITA, Collins foi também um dos primeiros jogadores do clube Alumni, na Argentina. Os pais de Guilermo Collins são filhos de fundadores de um dos clubes de rúgbi mais importantes da Argentina, o CASI. Apaixonado por rúgbi, Guillermo e seu filho Matias são dois personagens fundamentais para que possamos entender como surgiu o rúgbi em São José dos Campos e o São José Rugby Clube. Portanto, ficam aqui as palavras do próprio Guillermo Collins, hoje morando na Argentina, sobre os primeiros passos do nosso clube: "Em 1982, quando tentava manter a forma correndo ao redor da pista de atletismo do CTA, encontrei dois estudantes do ITA com uma bola de rúgbi. Eles se entusiasmaram com a ideia de formar uma equipe e trouxeram na terça seguinte uns poucos amigos aos quais eu comecei a explicar o jogo. As semanas foram passando e ao fim de um mês, já tinha comigo entre 13 e 17 pessoas que vinham todas as terças e quintas as 19hs para aprender a jogar. Um eles, o Paton, fabricou uma máquina de scrum com um desenho que preparei e começamos a treinar as formações fixas. Ao final de 1982, combinamos a primeira partida com o Mackenzie que veio a São José nos enfrentar. Mesmo que perdendo por 6 a 3 foi interessante pois para muitos foi a primeira partida que jogaram sem ter assistido nunca a um jogo. Em 1983, inscrevemos o São José com o nome de ITA no Campeonato Paulista. Perdemos todas as partidas, mas tínhamos uma equipe. Nem sempre havia 15 atletas, mas a equipe existia. Em 1984, Matias (meu filho) começou a trazer seus amigos para os treinos e ao final do ano arranjamos uma partida em São Paulo contra o Colégio Pueri Domus. Nosso adversário, pensando que era nossa primeira partida colocou uma equipe um pouco menor. Nosso time era juvenil e estava acostumado nos treinos a jogar com os maiores. Não tivemos problemas para ganhar a partida. Além dos alunos do ITA, Fabio Ferrari (da Rhodia) que tinha jogado na Universidade Liborio Farias entrou no time. Além dele, Roberto, do Uruguai, também passou a integrar a equipe. Em 1985, o Pueri Domus estava recebendo uma escola argentina com dois times e nos pediu se podia vir a São José para jogar. A primeira partida internacional do ITA foi contra o Santa Teresa e foi realizada no dia 15 de setembro de 1985. Apresentamos dois times. O adulto e o juvenil e, depois do jogo, os recebemos na área de pic nic do CTA com um churrasco. Preparamos um folheto explicando o jogo para os assistentes. Ainda tenho uma cópia a digitalizei e a anexo a esta historia (Galeria). Como pensei que era uma data memorável registrei a equipe adulta que jogou. Ferrari (15) Klauss (14) Alain (13) , Moi (12) e Gil (11), Musa (10) e Fabio (9), Liborio (6), Marcel (7) e Carusso (8), Roberto (5) e Julho (4), Rui (3) Hilton (2) e Jarbas (1). Foi nesse ano que organizamos o primeiro Seven-a-Side em São José. Só participaram 4 equipes mas não lembro quem ganhou. Tudo isto ocorria no campo 2 do CTA. Em 1986, começamos a ter problemas com a entrada no CTA. Também nessa época, meu filho Jaime (que vinha a todos os treinos) conseguiu que os amigos viessem treinar e em 1987 jogaram a primeira partida no Alphaville. O problema do acesso ao CTA mais a renovação anual de estudantes do ITA fez com que o rúgbi fosse saindo do âmbito do ITA para começar a germinar a ideia de um clube na cidade. Em 1986, apareceu Daniel Sauchelli que deu ao jogo um novo impulso, já que sendo mais jovem estava em contato com um rúgbi mais moderno. Em pouco tempo, acredito que em 1987, após 5 anos, eu muito contente de ter um sucessor dei um passo ao lado para me tornar em espectador. O Dominique Contant se aproximou e aproveitando o entusiasmo dos jovens rugbiers deu para eles o apoio que necessitavam para o inicio do São Jose Rugby como clube."